terça-feira, 26 de maio de 2015

Governador Ricardo Coutinho contesta acusações de prejudicar São João de CG: “A oposição não consegue perceber o que o povo precisa”

Após o governador Ricardo Coutinho anunciar cortes nos gastos da Paraíba com festas e solenidades por um período de 60 dias, políticos da oposição reagiram de forma bastante negativa, principalmente na cidade de Campina Grande, onde se realiza o "Maior São João do Mundo". O prefeito Romero Rodrigues (PSDB), lamentou a decisão do socialista ao afirmar que a crise hídrica não justifica a ausência de repasses da administração estadual para o São João da cidade. O corte repercutiu também na Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), onde o deputado estadual Renato Gadelha (PSC) usou a tribuna do Plenário José Mariz para solicitar ao governo do estado que reveja ato de suspensão da ajuda. Para o governador Ricardo Coutinho (PSB), a medida foi necessária já que, segundo ele, o estado vem perdendo recursos do Fundo de Participação dos Estados (FPE) e ICMS. “A oposição está tão perdida que não consegue perceber o que o povo precisa. Quem diz o que quer, escuta o que não quer. Nessa conjuntura de queda de FPE e ICMS por conta da paralisia do comércio, do setor de serviços e da indústria que estamos sofrendo, não poderíamos liberar recursos para festas”, explicou. Ricardo Coutinho ainda contestou o fato de que o ato teria fins eleitoreiros, principalmente em Campina Grande. “O governo liberou recursos para custear as horas extras para polícia, Corpo de Bombeiros. Tudo isso dá mais de R$ 2 milhões”, informou. Além dos custos com a polícia e bombeiros, o Salão do Artesanato que é realizado no município durante as festividades continuará sendo conduzido pelo governo e de acordo com informações do Secretário de Comunicação Institucional do Governo do Estado, jornalista Luís Torres, a suspensão se restringe apenas ao patrocínio com estrutura e contratação de bandas. pb agora

Nenhum comentário:

Postar um comentário