quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

GOE prende vigilante acusado de planejar roubo a carro forte em João Pesso

A Polícia Civil da Paraíba, por meio do grupo de Operações Especiais (GOE), prendeu na tarde desta quarta-feira (10) o vigilante Rafael Freitas Marinho, 24, acusado de ser o mentor intelectual de um roubo a carro forte ocorrido no dia 2 de dezembro, em João Pessoa. O homem, funcionário da empresa de transportes de valores proprietária do veículo, simulou um sequestro e ainda forjou estar amarrado a explosivos, que depois foram identificados pelo grupo de Ações Táticas da Polícia Militar como simulacros. De acordo com o delegado titular do GOE, Thiago Sandes, Rafael foi preso em uma Clínica Médica no bairro de Jaguaribe, por força de mandado de prisão preventiva, expedido pela juíza da Capital, Renata da Câmara Pires Belmont, a partir das investigações realizadas pela Polícia Civil acerca do caso. “Após o fato criminoso, iniciamos o trabalho de investigação que já apontava a participação de Rafael no crime. Isso foi exposto pelo secretário da Segurança e da Defesa Social, Cláudio Lima, de forma estratégica, logo após parte do dinheiro roubado do carro forte ter sido recuperado durante uma ação conjunta entre as polícias da Paraíba e de Pernambuco, no bairro do Alto do Mateus, Capital” explicou Sandes. O delegado ainda afirmou que Rafael confessou o crime e explicou detalhes sobre o roubo. Ao todo, cinco pessoas teriam participado da ação criminosa. “Segundo o vigilante, outros quatro envolvidos que já se conheciam o procuraram para participar do roubo, pela facilidade que ele tinha como funcionário da empresa. No dia 2 de dezembro, a quadrilha esteve bem cedo com Rafael para uma abordagem que deu a ideia de sequestro e amarrou no corpo dele os supostos artefatos”, detalhou a autoridade policial. Segundo as investigações, o dinheiro roubado seria dividido entre o grupo no dia 4, mas a ação conjunta das polícias da Paraíba e de Pernambuco conseguiu recuperar mais de R$ 400 mil em uma casa no bairro Alto do Mateus. O material estava enterrado, juntamente com sete armas de fogo, sendo seis da empresa e ainda uma pistola. Outra parte do dinheiro foi recuperada logo depois no estado vizinho, totalizando a quantia de R$ 816 mil. Durante a operação em Pernambuco, um dos homens que participou do crime em João Pessoa, Agnaldo Francisco dos Santos, 42, também foi preso, com outras seis pessoas acusadas de roubos a instituições financeiras e tráfico no Nordeste. “O trabalho da Polícia da Paraíba agora continua para prender os outros três acusados do roubo ao carro forte. Todos os envolvidos no crime já foram identificados”, frisou Thiago Sandes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário