terça-feira, 2 de julho de 2013

Facções usam Facebook para recrutar criminosos e anunciam mortes de rivais em JP

Integrantes de duas facções criminosas que atuam na Grande João Pessoa estão usando a internet para burlar a vigilância reforçada em bairros da Capital paraibana a partir da instalação de Unidades de Polícia Solidária (UPS). Através de perfis, que muitas das vezes são fakes (nomes falsos), traficantes usam o Facebook, a rede social mais popular no Brasil atualmente, para recrutar simpatizantes, comemorar a morte de rivais ou simplesmente se vangloriar dos feitos criminosos. No bairro de Mandacaru, na zona norte de João Pessoa, onde existem comunidades carentes, a instalação de uma Unidade de Polícia Solidária (UPS) conseguiu reduzir o índice de criminalidade, logo após a sua implantação. O local era palco de confronto entre facções criminosas rivais que se intitulam “Estados Unidos” e “Al-qaeda”. Os dois grupos haviam dado uma trégua e, agora, estão testando seu poder de fogo com provocações e relatos de vítimas em redes sociais. Na última semana de junho, entre a segunda (24) e o domingo (30), pelo menos dois assassinatos e outras quatro tentativas de homicídios foram registrados, conforme consta nos registros da Polícia Militar da Paraíba. Diego da Silva, 20 anos; e Michael Pereira Honório, 21 anos, foram assassinados no intervalo de poucas horas. As vítimas eram moradoras da comunidade Porto de João Tota que, segundo a polícia, tem o domínio da gangue da ‘Al-qaeda’. Segundo informações de familiares, os jovens não tinham envolvimento com o tráfico local. A autoria está sendo atribuída pela PM aos criminosos da facção ‘Estados Unidos’. Segundo o boletim médico do Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa, quatro pessoas foram baleadas durante um tiroteio no último sábado (29). As vítimas estavam em frente de casa quando foram atingidas pelos disparos, conforme consta no relatório da unidade militar. Recrutamento Numa rápida pesquisa nas redes sociais, a reportagem localizou uma página no Facebook onde um grupo sugere o recrutamento de novos ‘soldados do crime’, visando executar os rivais em comunidades de Mandacaru e expandir a área de atuação no crime. Com o nome de ‘O.K.D Mizera’ e utilizando mensagens codificadas, integrantes da facção ‘Estados Unidos’ criaram a comunidade, que anuncia a organização e execução de ações através do Facebook. Em uma das postagens, um jovem diz: “Nois hoje feis logo um pacote do boy do porto kkkk er estado. Tu viu no lava jato” (sic). 'Estado' é alusão à facção 'Estados Unidos'. O próprio nome da comunidade, ‘O.K.D Mizera’, reforça a rivalidade com a outra facção. Para os policiais, uma referência ao crime onde o jovem Michael Pereira Honório, 21 anos, foi executado na última quarta-feira (26), quando lavava carro em um lava jato localizado na avenida Ayrton Senna, em Mandacaru. Segundo levantamento feito pela Polícia Militar, o jovem morava na comunidade Porto de João Tota, que é dominada pela facção ‘Al-qaeda’. Veja algumas conversas

Nenhum comentário:

Postar um comentário